Fósseis de aves são elo perdido

22/08/06

Waterfowl fossils fill in a big missing link

O artigo apresenta fósseis de aves, datados de 100 milhões de anos, como mais um elo perdido no quebra-cabeças evolucionário da transição entre dinossauros e aves. Aparentemente trata-se de mais uma evidência do processo de evolução darwinista.

O que nos chama a atenção é que esta descoberta apresenta problemas enormes para a fé darwinista.

Primeiro, os fósseis apresentam estruturas em nada diferentes das aves existentes hoje em dia. Ao contrário do que o artigo declara, não é um elo perdido, apenas um fóssil de ave, apresentando as mesmas estruturas encontradas em qualquer passarinho pousado na árvore ou poste mais próximo. Como é possível que a 100 milhões de anos atrás já existiam aves idênticas às atuais? Estes animais deveriam ser muito diferentes e os fósseis deveriam mostrar estruturas muito mais simples e “menos evoluídas”.

Segundo, estas espécies de ave viveram na mesma época que os dinossauros, extintos a cerca de 60 milhões de anos, complicando a teoria de que as aves descendem dos dinossauros, defendida por muitos darwinistas, embora não todos.

Terceiro, muitos dos fósseis ainda contém tecido orgânico não fossilizado, mole e flexível. Depois de 100 milhões de anos? Alguma coisa está errada, ou o procedimento de datação não funciona ou não entendemos o processo de fossilização.

A verdade é que o paradigma darwinista nos leva apenas a mais confusão. O acúmulo de evidência aponta na direção oposta à indicada pelo darwinismo.

Leia este artigo para uma discussão do assunto do ponto de vista criacionista:

A “100 Million Year Old Bird” Is Still a Bird

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: